O que não sei sobre minha vida

Por Jota Alves –   jceppjp@gmail.com

Nós, consciências intrafísicas (conscins), vivemos no mundo multidimensional, em várias vidas (seriéxes), com vários corpos bioenergéticos (holossoma) e com a consciência se exteriorizando (projetabilidade) diariamente inconsciente quanto a esse fenômeno fisiológico. A consciência é mais do que energia e é diferente dela, embora estejam intrinsecamente unidas no processo ressomatório. Tudo isso é o que milhões de indivíduos não sabem sobre sua consciência e sua vida.

Apesar de não estarmos aqui pela primeira vez, nem será a última, e também de não termos passado pela primeira vez no período intermissivo (intervalo entre a dessoma – morte – e a nova ressoma – renascimento) ignoramos totalmente ou uma parte significativa desse fato. O estado de amnésia humano deve-se ao afunilamento, restringimento que a consciência sofre no seu processo de renascimento. Ao baixar a sua vibração energética faz  com que haja um descompasso entre o corpo físico-duplo-etérico (corpo de energia) e o psicossoma-mentalsoma (corpo emocional e mental) está lacuna aberta faz com que esqueçamos temporariamente o continuísmo das informações e aprendizados obtidos em outras vidas. Assim, nosso cérebro novinho, virgem, requer que façamos uma “formatação” ou “criações de trilhas” (através dos neurônios e suas conexões)  para que tenhamos a possibilidade de recuperar esses dados armazenados na consciência. É como o CD virgem que pode danificar-se no período de formatação e ter uma subutilidade. Nossa consciência pode ser danificada através das pressões sociais,  culturais, das tradições, dogmatismos, crenças e falta de cultivo da memória, quaisquer processos desses obstruí ou impossibilita e até traumatiza a conscin fazendo perder em parte ou toda sua vida intrafísica. São essas interrelações, cérebro-memória-consciência, em sinergia que fará com que o ser lembre-se e responda às perguntas cruciais da humanidade: de onde vim?, para onde vou?, quem ou o que sou? Todos nós temos a capacidade de obter essas respostas já nesta vida através da recuperação da nossa lucidez, realizada por técnicas específicas e simples, e patrocinada por projeções conscientes lúcidas (exteriorização da consciência com discernimento para fora do corpo físico).

A compreensão da vida que você vive é essa? Senão, você sofre da amnésia humana, vive com antolho de cavalo, sendo guiado por cego através de um paradigma materialista de uma ciência senil. Tudo no universo é energia e nós, consciências, somos mais do que energia. Desta forma é que não podemos nos conformar com a hipoacuidade consciencial. Faz-se necessário experimentarmos as várias dimensões; relembrarmos de algumas vidas já vividas; estarmos conscientes do corpo físico, emocional, energético e mental; experienciarmos pelo menos uma projeção lúcida consciente a cada seis meses e fazermos sobresforço para recuperar nossa lucidez intra e extrafísica o máximo que pudermos. Isso é o mínimo para merecermos o nome de humanos, pois nossa diferença dos quadrúpedes é a capacidade de discernimento. Discernir requer competência consciencial. Há pessoas que ainda acreditam que descendemos dos macacos.

 

Se você tem alguma sugestão ou comentário sobre este texto ou qualquer outro relacionado à Conscienciologia, envie um e-mail para jceppjp@gmail.com ou deixe seu comentário abaixo.

Última atualização: 09/05/2013

Deixe sua mensagem

(obrigatório)

(obrigatório)

Mensagem